Mês roqueiro na SescTV

Guitarras incendeiam a programação especial de rock que o SescTV exibe em julho, mês em que se comemora o Dia Mundial do Rock (13/07). Shows, espetáculos de dança, documentários e dramaturgia, mas que, de alguma forma, tem o rock inserido em seu contexto distribuídos em 27 programas ao longo do mês.

Gravados nas unidades do Sesc SP, os shows mostram, às 19h00, o blues do guitarrista norte-americano Magic Slim, no dia 11 (livre); os sucessos da geração ie-ie-ie por Erasmo Carlos e Wanderleia e cantores convidados no Era Iluminada – Jovem Guarda, no dia 12 (livre); homenagem ao maluco beleza em Viagens Raul Seixas, no dia 13 (12 anos); a vibração da guitarra de Pepeu Gomes na série Instrumental Sesc Brasil, no dia 14 (livre); o punk paulista da banda Inocentes, no dia 15 (12 anos); e o pop rock nacional na voz de Roger, vocalista e guitarrista da banda Ultraje à Rigor, e Thedy Corrêa, vocalista e baixista do grupo Nenhum de Nós, e convidados no Era Iluminada – Rock anos 80, no dia 18.

Pepeu Gomes - foto Nilton Silva e Pau

As exibições seguem com show acústico e interpretação de Lobão, no dia 19; Nação Zumbi, no dia 20, que retorna no dia 21, no Era Iluminada – Mangue Beat; Pato Fu, no dia 22; o duo sueco Club 8, no dia 25; Marcelo Camelo, no dia 26; Macaco Bong, no dia 27, e o guitarrista Fernando Catatau, no dia 28.

Se apresentam em um mesmo show a banda gaúcha Cachorro Grande com a carioca Autoramas, no dia 29; o músico Astronauta Pingüim com a banda Daniel Beleza e os Corações em Fúria, no dia 30; e, encerrando os shows, Stereo Tipo com a banda Porcas Borboletas, no dia 31.

Danças:

O rock também está presente em quatro coreografias da série Dança Contemporânea, com direção para TV de Antônio Carlos Rebesco “Pipoca”, que vai ao ar todas as quartas-feiras, às 24h. Escapada procura respostas para questões não resolvidas na sociedade contemporânea, no dia 7, e Do Ritmo ao Caos tem a palavra “caos” usada como trampolim para retratar a violência e a agitação das grandes metrópoles, no dia 14, ambas da Cia. Mário Nascimento; La Resiliencia, da Ares Ateliê de Performance, expõe a capacidade que as pessoas têm de resistir e refazer, no dia 21; e Devoração, da Cia 8 Nova Dança, busca conceitos e reflexões no antropofagismo e canibalismo para construir pesquisas relacionadas ao corpo e à estética, no dia 28.

Documentários:

Cinco programas que integram a série HiperReal, dirigida por Kiko Goifman, tem o rock em seu roteiro, às 22h. Ruídos na Rede mostra a promoção de músicos independentes e a divulgação de novos talentos pela internet, no dia 1; O Puro Sangue da Groselha aborda os filmes e a cultura trash, incluindo a música, no dia 8; Rebanho do Metal destaca a igreja evangélica que reúne jovens metaleiros em seu culto a Jesus, no dia 15; Vegan e Straight Edge apresenta jovens adeptos ao Straight Edge, movimento relacionado à música punk hardcore, no dia 22; e Revolta e Correria fala sobre jovens punks, no dia 29.

Teatro:

Na série Direções – por um novo caminho na teledramaturgia, o episódio Billy, a Garota, dirigido por Mário Bortolotto, conta a história de uma jovem que tem planos para ela e o amigo, que acabou de ser abandonado pela namorada, no dia 11, às 23h.

SERVIÇO:

Shows – às 19h

Magic Slim – Dia 11.
Era Iluminada Jovem Guarda – Dia 12
Viagens: Raul Seixas – Dia 13.
Instrumental Sesc Brasil – Pepeu Gomes – Dia 14.
Inocentes – Dia 15.
Era Iluminada – Rock Anos 80 – Dia 18.
Lobão – Dia 19.
Nação Zumbi – Dia 20.
Era Iluminada Mangue Beat – Dia 21.
Pato Fu – Dia 22.
Club 8 – Dia 25.
Marcelo Camelo – Dia 26.
Instrumental Sesc Brasil – Macaco Bong – Dia 27.
Instrumental Sesc Brasil – Fernando Catatau – Dia 28.
Autoramas e Cachorro Grande – Dia 29.
Astronauta Pinguim, Daniel Belleza e os Corações em Fúria – Dia 30.
Stere Tipos e Porcas Borboletas – Dia 31.

Série Dança Contemporânea – às 24h
Escapada – Cia. Mário Nascimento – Dia 06.
Do Ritmo ao Caos – Cia. Mário Nascimento – Dia 13.
La Resiliencia – Ares Ateliê de Performance – Dia 20.
Devoração – Cia 8 Nova Dança – Dia 27.

Série HiperReal – às 22h
Ruídos na Rede – Dia 01.
O Puro Sangue de Groselha – Dia 08.
Rebanho do Metal – Dia 15.
Vegan e Straight Edge – Dia 22.
Revolta e Correria – Dia 29.

Série Direções – por um novo caminho na teledramaturgia – às 23h
Billy, a Garota. Dia 11.

PARA SINTONIZAR O SESCTV
Canal 3, da Sky.
Nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro
Canal 137, da NET Digital
Canal 28, da Oi TV
Em outras cidades consulte: www.sesctv.org.br

Semana agitada no Estúdio Showlivre

Final do mês de junho (comecinho de julho também…) agitado no Estúdio Showlivre!

Ídolos do rock BR80, lendas do rock BR90, sensação do Sertanejo Universitário e EletroSynthRock clássico: repertório das atrações previstas para a semana do dia 27 de junho.

Abrindo os trabalhos, o pessoal do Nenhum de Nós apresenta seu novo trabalho Conto de Água e Fogo ao vivo, dia 28/junho, a partir das 15h. O vocalista Thedy passou por aqui em abril, dá uma conferida:

Na quarta-feira, a volta dos Raimundos com Digão e Canisso tocando seus hits e apresentando novas composições ao vivo, também a partir das 15h.

Raimundos

A dupla João Neto & Frederico canta seus sucessos e contam sobre os novos projetos, tudo isso na quinta-feira, 28 de junho, com transmissão ao vivo desde as 15h.

João Neto & Frederico

Fechando a semana, o quarteto de Vitória (ES) Zémaria aproveita a sua passagem paulistana para participar do Jukebox Festival (saiba mais aqui) e apresenta as canções do disco Space Ahead. Rock+synthpop+eletro+Sanny nos vocais, sucesso garantido.

Zémaria

Por sinal, o Zémaria foi uma das primeiras atrações do Estúdio Showlivre, lá pelos idos de 2004!

Lembrando… depois das apresentações rola a reprise, os clipes são publicados no showlivre. com e no nosso canal do Youtube e tudo mais. Mas é legal assistir ao vivo, dá para interagir com a banda via chat, twitter e facebook e ainda acompanhar o que rola no Estúdio.

Promoção: Quer assistir a uma das apresentações aqui no showlivre.com?
Participe aqui, ó.

Anote e vá – Agenda Showlivre de 10 a 19 de junho

Um Tributo a George Harrison @SESC Vila Mariana

Os músicos André Abujamra, Anthony Rosemberg, Beto Bruno, Bluebell, Danilo Moraes, Dinho Ouro Preto, Edgar Scandurra, Hélio Flanders, João Herbeta, Lu Horta e Paulinho Moska se reúnem no show inédito George – Tributo a George Harrison no Teatro do Sesc Vila Mariana.
Na terça-feira, dia 21 de junho sobem ao palco: André Abujamra (Karnak), BlueBell, Beto Bruno (Cachorro Grande), Danilo Moraes, Dinho Ouro Preto (Capital Inicial), Hélio Flanders (Vanguart), João Erbetta, Lu Horta e Tony Rosemberg (Cassavettes), com a participação do músico Paulinho Moska. E na quarta-feira, dia 22, é a vez de Edgard Scandurra (Ira!) integrar o time de roqueiros brasileiros.

SESC Vila Mariana
Rua Pelotas, 141
Informações: 5080-3000 0800-118220
www.sescsp.org.br
21 e 22 de junho (Terça e quarta) – 21h
Ingressos: R$ 10 a R$ 42

Nicholas Payton @SESI-SP
O trompetista norte-americano Nicholas Payton tocará repertório composto por grandes sucessos de seu último álbum Into the Blues. Como líder de seu grupo, o trompetista já gravou nove discose em 1997, conquistou um Grammy pela composição Stardust.

Quartas Musicais 2011 – Nicholas Payton
Teatro do SESI – São Paulo – Av. Paulista, 1313 – metrô Trianon-Masp
22 de junho (quarta-feira), às 20h.
Entrada: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia entrada) Vendas na bilheteria do teatro ou pela Tickets For Fun, via fone – (11) 4003-5588 – ou site – www.ticketsforfun.com.br.
Informações: (11) 3146-7405/7406
SESI-SP e SENAI-SP / FIESP www.sesisp.org.br e www.sp.senai.br

Terruá Pará @Auditório Ibirapuera

Segunda edição – a primeira foi realizada em 2006 – o Terruá Pará fornece uma amostragem do que já foi criado, do que está sendo criado e do que ainda será criado na vibrante cena musical daquele estado. Cada artista participante faz um número breve e passa a bola para o seguinte, mantendo o tão elogiado andamento do espetáculo inicial.

Terruá Pará

Estão no Terruá Pará Gaby Amarantos, Edilson Moreno, Charme do Choro, Dona Onete, Sebastião Tapajós, Pio Lobato, Solano, Felipe e Manoel Cordeiro, Quarteto de Cellos da Orquestra Jovem de Cellos da Amazônia, Paulo André Barata, Gang do Eletro, Carimbó Uirapuru de Marapanim e ainda as cantoras Lia Sophia e Luê Soares.
Os produtores Carlos Eduardo Miranda e Cyz Zamorano são os responsáveis pela direção artística do show.

Serviço:
24 e 25 de junho 2011 – 21h
Valor do ingresso – R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia)
Auditório Ibirapuera –
Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº – Portão 2 / Parque Ibirapuera – São Paulo.
Contato – 11- 5908-4299 – www.auditorioibirapuera.com.br

Tony Tornado @Itaú Cultural

A programação do Estéreo Saci encerra com duas noites de shows com Tony Tornado. Com o pseudônimo Tony Checker, Tornado iniciou sua carreira musical como cantor de rock’n’roll, morou em Nova York ,teve contato com o movimento negro e conheceu Tim Maia. De volta ao país, trabalhou no conjunto de Ed Lincoln e foi crooner da boate New Hollyday, no Rio, onde foi descoberto pelo compositor Tibério Gaspar. Tibério e Antônio Adolfo confiaram a Tony Tornado (acompanhado pelo Trio Ternura) a interpretação de sua composição BR-3, no V Festival Internacional da Canção, em 1970.

Tony Tornado encerrando os Shows Estéreo Saci 2011
25 e 26 de junho de 2011 (quarta-feira a domingo) – 20h
Sala Itaú Cultural (247 lugares)
Entrada gratuita (Será distribuído um cartão numerado, para o controle de fila. Ao recebê-lo, a pessoa deve permanecer na fila, pois será trocado pelo ingresso meia hora antes do início do espetáculo)
Avenida Paulista, 149, Estação Brigadeiro do Metrô
Fones: 11. 2168-1776/1777

Amabis @Sala Crisantempo

Produtor de trilhas sonoras para filmes como “O Senhor das Armas” e “Quincas Berro D’água”, no palco, Amabis faz o lançamento do seu CD Memórias Luso Africanas e leva a nau acompanhado da tripulação ideal: Céu, Lucas Santtana, Criolo,Tulipa Ruiz, Regis Damasceno, Samuel Fraga, Marcelo Cabral e Dustan Gallas.
Sala Crisantempo
Rua Fidalga, 521 – Vl. Madalena -Tels : 3819-2287 e 3814-2850
28 e 29 junho – 21h00
Ingressos : R$ 30,00 – dinheiro ou cheque

Lulina @Studio SP

A cantora e compositora pernambucana Lulina, pseudônimo de Luciana Lins, de voz doce e jeito tímido, usa metáforas divertidas com ETs, playmobil, edredons, minhocas, o número 13 e bebidas exóticas, navegando pelo universo lúdico, com tiradas sagazes e algumas vezes até sarcásticas.

29 de junho (qua) – 23h30
Studio SP
Rua Augusta, 591 – Consolação
Tel/Fax: (11) 3129.7040
Ingresso: R$ 10 e R$ 20

Sarambá @Estúdio Emme

Estréia do projeto Sarambá, a nova Gafieira Paulista comandada por Carol Bezerra, Quinteto em Branco e Preto e integrantes da Banda Mantiqueira.
Sempre nas segundas e últimas quintas-feiras de cada mês, o projeto promove o encontro do grupo de samba com a big band. Neste cenário, os artistas se juntam para trocar experiências e fazer o povo dançar na pista.

Estréia: 30 de junho (qui) – Abertura da Casa: 21h30 – Horário do show: 22h30
Temporada: 14 e 28/07, 11 e 25/08, 08 e 22/09, 13 e 27/10, 10 e 24/11 e 08/
12
Estúdio Emme
Av. Pedroso de Moraes, 1036 – Pinheiros SP – Fone 2626-5835
Ingressos: R$ 30 a R$ 40,00

Ultraje a Rigor @SESC Pompeia

Comemorando o mês do rock, destaque na programação da Choperia reunindo bandas tradicionais do rock nacional como Ultraje a Rigor, Inocentes, Nasi, Marcelo Nova e Hangar.
E para comemorar também os 26 anos de banda, o Ultraje a Rigor abre a série de shows com as apresentações dos discos Nós Vamos Invadir sua Praia (1/7) e Sexo! (2/7), que serão tocados na íntegra.

1 e 2 de julho (sex e sab) – 21h30
SESC Pompéia
Rua Clélia, 93
Telefone para informações: (11) 3871-7700
Valor: de R$ 4 a R$ 16

Célia @SESC Vila Mariana

A cantora e sambista Célia realiza show em comemoração dos quarentas anos de carreira e muito samba. Célia sobe ao palco acompanhada do grupo Quinteto Em Branco e Preto e da cantora Fabiana Cozza, e recebe na sexta (1º/06) a cantora Virgínia Rosa, no sábado (2/06) Giana Viscardi e no domingo (3/06) Lucinha Lins sobe ao palco.

Célia

Desde seu primeiro LP, lançado em 1971, Célia interpreta composições de grandes nomes da música brasileira, de Ivan Lins, Marcos Paulo Sérgio Valle a Fátima Guedes, Sinval Silva a Roberto e Erasmo Carlos, passando por Tom Jobim, Vinícius de Moraes.

Célia – Quem Não Gosta de Samba
Dias 1º, 02 e 03 de julho – Sexta e sábado às 21h, e domingo às 18h
Ingressos à venda pelo sistema INGRESSOSESC a partir do dia 25/06.
R$ 32,00 (inteira); R$ 16,00 (usuário matriculado no SESC e dependentes, maiores de 60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino). R$ 8,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado no SESC e dependentes).
SESC Vila Mariana
Rua Pelotas, 141
Informações: 5080-3000 0800-118220

Os sonhos de Milton Nascimento

Milton Nascimento na Via Funchal, em São Paulo. Foto: Laís Aranha.

Milton Nascimento apresentou no último dia 19, na Via Funchal, em São Paulo, a turnê de …E a Gente Sonhando, seu último álbum. Lançado em 2010, o disco leva o nome de uma das primeiras composições de Milton que foram gravadas – pelo Tempo Trio, em 1966. E se o título remete aos sonhos do passado que levaram ao artista consagrado de hoje, são esses mesmos sonhos que ele parece fortalecer nos artistas da nova geração.

Logo ao início do show, o cantor, carioca de berço, mineiro de coração, conta sobre a origem do disco. Quando chegou às suas mãos o livro The brazilian sound, de Chris McGowan e Ricardo Pessanha, Milton se surpreendeu ao ver que Três Pontas, a cidade onde foi criado, figurava entre os pólos musicais mais importantes do Brasil. Sem saber o que os turistas encontrariam quando chegassem lá, tratou de perguntar ao amigo Marco Elízeo (que participa da produção de … E a Gente Sonhando) a quantas andava a criação artística da cidade e, assim, foi apresentado a um grande número de novos talentos. Encantado com o que encontrou, convidou os jovens para a gravação do disco, onde participaram como instrumentistas, compositores e cantores, tal como o fizeram diante do público paulistano.

Guitarrista e integrantes do jovem coral. Foto: Laís Aranha.

Trajado de pólo vermelha, paletó cáqui e óculos escuros, Milton foi acompanhado por um coral de mais de vinte jovens, espalhados por plataformas no palco: rapazes, com jeans e camiseta, e moças, com vestidos brancos e flores no cabelo. As roupas em harmonia e as coreografias arriscadas davam um ar de “musical” festivo ao show, o que era contraposto à densidade da maioria das canções do novo disco, que formaram grande parte do repertório da apresentação.

Elis Regina, com a maior das propriedades, disse que “se Deus cantasse, seria com a voz do Milton”. Embora o canto de Bituca seja sempre soberano, ele parece assumir vigor mais intenso nas novidades, como Amor do céu, amor do mar (canção que, aliás, cita Elis), do que em músicas consagradas como Nos Bailes da Vida e Maria, Maria. A mesma impressão fica quando Milton pede para que a plateia entoe Canção da América em seu lugar. O convite talvez venha por conta dos tantos anos em que vem apresentando a música, talvez venha por conta da poesia da ocasião, mas fato é que o ato acontece com tal beleza que abre vantagem para a segunda possibilidade.

Milton e Paulo Francisco, um dos novos talentos trespontanos. Foto: Laís Aranha.

A certa altura do show, o cantor e compositor senta-se e, flanqueado pelo jovem coral, observa-os silenciosamente na interpretação de Comunhão, enquanto os nomes dos integrantes são exibidos na projeção ao fundo do palco. E, em diversos momentos, os talentos trespontanos assumem os holofotes, o que pode ser sinal de que Milton quer apresentar novos soldados – munidos de sonhos – em sua eterna briga contra o rei, citada nos versos de Caxangá.

No fim das contas, fica ao gosto de cada ouvinte decidir se Três Pontas mantém sua posição de grande berço musical brasileiro. O aval de Milton Nascimento eles já têm.

Jazz no Litoral Norte

1º edição do Ilha de Toque Toque Jazz Festival, um festival de jazz, com nomes consagrados do gênero tendo como cenário a praia de Toque Toque Grande, na cidade de São Sebastião, litoral norte de São Paulo. O festival acontece nos quatro sábados de junho, contemplando diferentes artistas da cena jazzística paulistana.

Quem abriu o festival, dia 4 de junho, foi o pianista Fabiano de Castro e seu trio.

Fabiano de Castro e seu Trio

No terceiro dia de festival, 18 de junho, o palco pertence ao renomado Lanny Gordin com sua impecável guitarra. Os improvisos ousados de Lanny também chamaram a atenção de artistas como Tim Maia, Elis Regina, Jair Rodrigues e Erasmo Carlos, com quem veio a tocar.

Quem encerra o Ilha de Toque Toque Jazz Festival, no dia 25 de junho, é a atração internacional Yaniel Matos, cubano de nascimento e brasileiro de coração. Passou pelas orquestras mais prestigiadas de Cuba, tocando com músicos como Chucho Valdes e Orlando Valles Maraca.

Obs: Com apenas 50 lugares disponíveis em cada show, o Ilha de Toque Toque Boutique Hotel ainda disponibiliza metade dos ingressos para compra avulsa,

Especialmente para o festival, o hotel criou pacotes a partir de R$ 780 (para os finais de semana) e R$ 1.900 (para o feriado de Corpus Christi) que incluem um par de ingressos para o show (que já inclui o jantar no dia do show) e hospedagem com café da manhã, late check-out até 18h (mediante disponibilidade), uma vaga no estacionamento e Serviço de praia exclusivo com cadeiras, guarda-sóis, toalhas, equipamento de mergulho, snorkel e caiaque.

Com apenas 50 lugares disponíveis em cada show, o Ilha de Toque Toque Boutique Hotel ainda disponibiliza metade dos ingressos para compra avulsa, sob o valor de R$ 120 cada entrada, incluindo coquetel e jantar – bebidas alcoólicas a parte.

Mais informações: http://www.ilhadetoquetoque.com.br/

As feridas do Foo Fighters

Nada melhor para começar a semana do que boa música. E foi de encontro a esta que a redação do showlivre.com foi na segunda-feira, pela manhã, assistir ao documentário Foo Fighters – Back and Forth, dirigido por James Moll. O filme trata da história da banda, desde a faísca que lhe deu origem, após o fim trágico do Nirvana, até o momento de sucesso pleno e shows gloriosos em que vive atualmente.

Como se sabe, o Foo Fighters é o projeto que Dave Grohl, ex-baterista do Nirvana, montou após o suicídio de Kurt Cobain. E se há algo que o documentário deixa claro é que a morte de Kurt ainda é algo doloroso para todos que a comentam, ainda que seja interessante o processo de superação a que Grohl se submeteu: tratou de gravar uma demo com todas as composições que tinha na gaveta, pois “precisava fazer algo” para sair da depressão em que estava nos últimos oito meses. Assim, gravou todos os instrumentos e, em seguida, recrutou companheiros para montar a nova banda.

Daí em diante, o longa detalha idas e vindas de integrantes, e mostra como alguns dos conflitos que causaram a expulsão de membros da banda ainda são nebulosos (embora documentados) entre os envolvidos. O guitarrista Pat Smear conta como Dave Grohl regravou às escondidas as partes de bateria do álbum The Colour and the Shape, por estar insatisfeito com o trabalho de William Goldsmith – o que causou a saída do baterista. Já o guitarrista Franz Stahl ressente-se de ter sido expulso por meio de um telefonema, o que encerrou “os dois melhores anos de sua vida”. Uma vez que o espectador esteja ciente de que só quem viveu a experiência sabe o que de fato aconteceu, é inegável que todos os acontecimentos parecem ter sido necessários para que a banda se tornasse o que é, embora Grohl tenha dito em entrevista para a revista Rolling Stone que não se orgulha de como lidou com algumas situações.

E falando sobre o que a banda é, se a capa de There Is Nothing Left to Lose, ao mostrar a nuca de Dave Grohl tatuada com o símbolo da banda, parece dizer que o Foo Fighters é sinônimo de seu vocalista, o documentário dá as provas finais de que isso é verdadeiro. Grohl fala como, ao compor uma canção, já tem em mente como será o arranjo da bateria. Ao mostrar um riff, o atual guitarrista Chris Shiflett aparece questionando se Dave Grohl aprova a ideia. E dá a impressão de que, em todos os momentos em que o ex-baterista se refere à música do Foo Fighters, ele comenta sobre uma criação que é sua, e não da banda, necessariamente. Tal como todas as decisões pertinentes à carreira passam pelo aval de Grohl.

Porém, independente de quem manda, o filme mostra, sem dúvida, que o Foo Fighters vive de uma música apaixonada. E isso fica claro quando os integrantes falam do álbum One by One, inicialmente gravado em um período conflituoso, e depois regravado em um período de trégua, o que deixou aflorar a paixão pela música. Acrescentamos: o sentimento necessário para que uma música se torne verdadeiramente boa.

Enfim, Foo Fighters – Back and Forth mostra que, sobrevivendo bem aos problemas, a banda vive seu auge, a ponto de lotar duas noites no Wembley Stadium, com presença de 85 mil pessoas em cada data. Além deste sucesso estrondoso, as imagens da gravação do último disco, regada a piscina, churrasco e momentos familiares, explicam um pouco da angústia dos ex-integrantes. Ao menos de longe, a vida de um Foo Fighter parece muita, muita diversão.

O documentário será veiculado apenas nos dias 24 e 25 de junho, em salas de cinema de diversas cidades do país, junto a um vídeo em 3D do show da nova turnê, Wasting Light. A distribuição é da MOBZ, que possui um conceito inovador de cinema sob demanda, onde os usuários decidem o que desejam assistir. Os ingressos já estão à venda e há mais informações no www.mobz.com.br. Aproveite as únicas sessões, a redação do showlivre.com recomenda.

Chimarruts no Estúdio Showlivre

O pessoal do Chimarruts é a atração do Estúdio Showlivre que será transmitido ao vivo no dia 15 de junho, a partir das 16h.

A banda acaba de lançar uma edição especial do CD Só Pra Brilhar, que inclui um DVD com clipes e bastidores e vai tocar seus hits ao vivo no showlivre.com

Chimarruts

Perfil:

A Chimarruts tem suas músicas executas nas principais rádios e não para de colher os frutos do trabalho que começou em Porto Alegre em 2001. Com 10 anos de carreira, 5 discos lançados e um DVD ao vivo, a banda coloca no mercado um combo de DVD + CD Só Pra Brilhar.

O DVD Só Pra Brilhar faz um mergulho no universo da Chimarruts, onde revela cenas e flagrantes de seu cotidiano, e traz também clipes inéditos e depoimentos.

Discografia:
Chimarruts, 2002.
Todos Somos Um (Orbeat Music) 2003.
Livre Para Viajar (Orbeat Music) 2005.
Chimarruts Ao Vivo (EMI Music) 2007.
Só pra Brilhar (EMI Music) 2010.

Anote e vá – Agenda Showlivre de 10 a 19 de junho

DJ Satoshi Tomiie @Clash Club

O renomado DJ e produtor Satoshi Tomiie ao lado dos DJs DJs Renato Cohen, Ingrid e Darick Gyorgy se apresentam na noite Orloff Set.

O japonês Tomiie fez sucesso na cena de Nova York ao lado de parceiros como Frankie Knuckles e o cantor e produtor Robert Owens, lendas da house norte-americana, e foi partner de empreitadas da Def Mix, crew dde Knuckles e Davi Morales.

10 de junho (sexta) – 0h
Clash Club
Rua Rua Barra Funda, 969
Tel: (11) 3661-1500
www.clashclub.com.br
Ingressos: Mulher VIP até 1h
Com nome na lista: Mulher R$ 50,00 entrada ou R$ 70,00 consumação.
Homem R$ 60,00 entrada ou R$ 120,00 consumação
Sem nome na lista: Mulher R$ 60,00 entrada ou R$ 80,00 consumação
Homem R$ 65,00 entrada ou R$ 130,00 consumação.

The Agonist @Carioca Club

Após anos de expectativa, finalmente a banda canadense The Agonist chega ao Brasil. Alissa White-Gluz e banda estão em turnê pela América Latina promovendo o álbum Lullabies For The Dormant Mind. A excursão já passou por México, Colômbia, Chile, Uruguai, Argentina e termina com três show no Brasil.

The Agonist

jun 12 – Carioca Club – São Paulo, BRAZIL
jun 13 – Clube de Tênis – Catanduva, São Paulo, BRAZIL
jun 15 – Music Hall – Curitiba, Paraná, BRAZIL

A abertura do show em São Paulo está a cargo da banda jundiaiense Ecliptyka.
Alissa White-Gluz declarou que está ansiosa para conhecer os fãs brasileiros e que não liga para o título de “The Hottest Chicks in Heavy Metal”.

12 de junho (Domingo) – 19h
Carioca Club
Rua Cardeal Arcoverde, 2899 – Pinheiros.
Ingressos: R$ 60 a R$ 100
Informações: (11) 7527.4084

Bruno Morais @Studio SP

Apresentação no Cedo e Sentado Especial, com participação de Kiko Dinucci. Finalizando a turnê com o show de seu segundo disco, A Vontade Superstar (ybmusic), Bruno cantará também novas músicas.

15 de junho (quarta) – 23h
Studio SP – Rua Augusta, 591 – Centro
Tel.: 11 3034-5501
Ingresso R$ 20,00 / Lista R$ 10,00

Marcelo Jeneci @Itaú Cultural

Compositor e multi-instrumentista volta à cidade para show gratuito com repertório de seu álbum de estreia, considerado um dos melhores de 2010 pela crítica especializada

16/junho (quinta) – 20H
Itaú Cultural – Teatro
Av. Paulista, 149, Cerqueira César, São Paulo, SP (metrô Brigadeiro, linha verde)
Ingressos: grátis (retirada a partir das 19h30 – a fila costuma se formar antes)
Informações: 11 2168-1776 / www.itaucultural.org.br

New Young Pony Club @Beco SP

Quarteto britânico que mistura rock, eletro e beats para dançar. Lançaram o ótimo The Optimist ano passado e colecionam singlescque foram bem nas pistas e nas paradas, como “Ice cream”, “Get lucky” e “The get go”. Abertura com os DJs AD Ferrera e Schutz & Machuca.

16/junho (quinta) – abertura da casa 22h, show 23h40
Beco SP
Rua Augusta 609
Ingressos: R$ 80

Copacabana Club @Studio SP

Os curitibanos estão lançando em São Paulo seu CD de estréia. Tropical Splash reúne 13 canções cruas, apaixonadas, imediatas, fáceis de ouvir, boas de dançar. “Just Do It”, a pequena obra-prima que levou a banda aos lugares mais descolados do mundo pop, também está no repertório do show.

Lançamento do CD Tropical Splash
17/junho (sexta) – Porta 22 hs / show 1 h
Studio SP
Rua Augusta, 591 – Consolação
Tel/Fax: (11) 3129.7040
Ingressos: R$ 15 e R$ 25

Peter Hook @Estúdio Emme

O ex baixista do lendário grupo inglês Joy Division e co-fundador da banda New Order se apresenta pela primeira vez no Brasil com sua banda The Light. A turnê intitulada Unknown Pleasures: A Celebration of Joy Division by Peter Hook & The Light conta com participação especial do seu filho Jack Bates também no baixo.

Peter Hook

A turnê é uma homenagem ao LP homônino Unknown Pleasures (1979), que levou o Joy Division ao estrelato mundial.

Dias 16 e 17 de junho de 2011 –
Abertura da casa: 21h;
Estúdio Emme
Rua Pedroso de Moraes, 1036 – Pinheiros.
Informações: (11) 2626-5835.
Ingressos: R$ 80 a R$ 300

The Errors @Studio SP

Com influência da acid house do final dos anos 80, o banda Errors nasceu em Glasgow, na Escócia, em 2004. No final de 2010, saiu o disco de remixes “Celebrity Come Down With Me”, com faixas do Errors revisitadas por artistas como Gold Pand, The Field e Mogwai.

Whisky Festival com The Errors
18 de junho (sábado) – Porta 22 hs / show 1 h
Studio SP
Rua Augusta, 591 – Consolação
Tel/Fax: (11) 3129.7040
Ingressos: R$ 15 e R$ 25

Bazar de Discos @Paribar

Dezenas de expositores negociando LPs importados, nacionais, raros, novos, usados, compactos, cds originais, vídeos, etc. Gêneros diversos numa tarde repleta de colecionadores, DJs, músicos e amantes da música garimpando discos. Discotecagem de DJs, drinks, cervejas, comidinhas e petiscos.

Paribar
Praça Dom José Gaspar, atrás da Biblioteca Mário de Andrade.
19 de junho (domingo) – 10hs às 18hs
Entrada gratuita

Holger no Estúdio Showlivre

Showlivre.com e Move that Jukebox apresentam Holger no Estúdio Showlivre

Holger - foto por Ariel

Atração do Estúdio Showlivre no dia 21 de junho, o Holger apresenta as músicas do seu aclamado álbum Sunga (2010).

Junto com o pessoal do Move That Jukebox, que promove o Jukebox Festival no começo de julho, o showlivre.com faz a transmissão ao vivo do Estúdio Showlivre com Holger a partir das 17h. Promessa de uma apresentação divertida e cheia de energia, características marcantes da banda paulistana. Traduzindo: música para dançar, gritar “ôô” nos refrôes e as intervenções de Clemente Nascimento e do Move That Jukebox crew nas perguntas e nos breaks.

Perfil do Holger:
Poucas bandas independentes brasileiras têm chamado tanta atenção quanto o Holger. A banda despontou com Green Valley (2008), um EP calcado no indie rock “clássico” de ídolos como Pavement, Flaming Lips, Wilco e Dinosaur Jr.

Logo, suas apresentações energéticas e imprevisíveis ganharam reconhecimento dos mais atentos. Seguiram-se shows por todo o país, apresentações ao lado de gente como Dirty Projectors, No Age, Matt and Kim e Super Furry Animals, e viagens para os festivais South by Southwest (EUA) e Pop Montreal (Canadá). No início de 2010, o quinteto trancou-se em estúdio com o americano Roger Paul Mason, e de lá saíram com Sunga, seu primeiro álbum.

Rolla, Pata, Arthur, Pepe e Tché, notoriamente se inspiram nas guitarras e batuques do afro beat de Fela Kuti, em gerações diferentes do pop eletrônico como o New Order e Passion Pit, na esquizofrenia pop de nomes como Mae Shi e Islands, e nos atuais desconstruidores do indie rock, como o Animal Collective, sem deixar de lado a paixão pelo indie rock clássico do Wilco, Pavement e companhia.

Sobre o Jukebox Festival:

Jukebox Festival – dias 01 e 02 de julho, no Estúdio Emme
Com dois dias de shows, dez atrações nacionais, disputa para participação de banda estreante, divulgação por redes sociais e cobertura feita pelo público, Jukebox Festival comemora a força cada vez maior do “faça você mesmo”
Organizado pelo blog Move That Jukebox, site conhecido por notícias exclusivas ou em primeira mão de bandas nacionais e internacionais, o evento é uma confraternização de bandas, artistas, profissionais e público, que têm em comum atuar e transitar à margem dos meios tradicionais na produção e consumo de arte e informação.

Tem promoção para ganhar passaporte pro Jukebox Festival. Confira aqui

Mais infos do Jukebox Festival, aqui

Sobre o Move That Jukebox:

Legítimo exemplar desta cena, o blog Move That Jukebox foi criado por seis adolescentes entre 15 e 17 anos, de diferentes cidades, que se conheceram pela internet em uma comunidade do extinto Tim Festival e resolveram unir forças para colocar no ar uma página com informações, resenhas de discos e shows, entrevistas com músicos e personagens relacionados à música, especialmente ao rock moderno. Em um ano, o blog já era indicado a prêmios. A estas indicações seguiram-se comentários e matérias explicando a origem da página e a indicando como uma referência entre os principais veículos independentes de música no país.

A melhor capa de discos

Exposição na Escola Panamericana elege o disco com a melhor capa de todos os tempos

Até 18 de junho (sábado) quem for à Escola Panamericana poderá ver de perto as capas de 50 álbuns que marcaram época e eleger, por meio de uma votação eletrônica, a melhor capa de todos os tempos.

Fazem parte da competição álbuns como “Nevermind (Nirvana – 1991)”, “Atom Heart Mother (Pink Floyd – 1970)”, “Revolver (The Beatles – 1966)”, “Secos&Molhados (Secos&Molhados – 1973)”, “Roots (Sepultura – 1996)”, “Cabeça Dinossauro (Titãs – 1986)”, “Meat Is Murder(The Smiths – 1985)”, “Elvis Presley (Elvis Presley – 1956), “The Velvet (The Velvet – 1967), entre outras.

Nirvana - Nevermind

Velvet Underground & Nico

No espaço do evento, localizado nas unidades Angélica (Avenida Angélica, 1900) e Groenlândia (Rua Groenlândia, 77), em São Paulo, haverá ainda um computador para realizar a votação e conferir quem está ganhando a disputa em tempo real. Pela internet também é possível votar: http://mtv.uol.com.br/projetos/panamericana.