Guilhermoso Wild Chicken: Severino, crítica e diversão

“Quem já assistiu a uma apresentação do Guilhermoso ou ouviu a letra de “Severino”, entretanto, terá percebido que, na obra do Frango, nem tudo é festa e tiração de sarro: em muitos shows, ele é tomado de selvageria absurda e tira quase toda a roupa, numa performance que beira a profanação do próprio espetáculo; em “Severino”, um dos grandes temas da literatura brasileira, o retirante, ganha forma de rock com versos em português.”

É o que diz o professor de literatura e blogueiro do Showlivre.com Rogério Duarte sobre o músico Guilhermoso Wild Chicken em seu blog A Métrica do Grito. Leia.

Documentários enfocam Ratos de Porão e heavy metal brasileiro

Dois documentários inéditos prometem pesar a barra em 2009 – no bom sentido, é claro. Um deles é Guidable – A Verdadeira História do Ratos de Porão, dirigido por Fernando Rick e Marcelo Appezzato. No registro, a trajetória sem censura de uma das bandas mais importantes e malucas do cenário underground brasileiro. As imagens do trailer falam por si. Vejam.

Ainda na música pesada feita no país e disseminada pelo mundo, o documentário Brasil Heavy Metal, produzido pelo ex-guitarrista da banda Santuário, Ricardo “Micka” Michaelis, visita o início da cena no Brasil, focando principalmente o período compreendido entre os anos de 1978 a 1988, traçando um paralelo com o que acontecia no mundo da música nos EUA e na Inglaterra e abordando a influência de bandas internacionais, como o próprio Iron Maiden. É aguardar para ver.

Ambos documentários têm estréia prevista para o segndo semeste.

Do Acre, grupo Los Porongas é tema d´A Metrica do Grito

Los Porongas. Foto: Enrico Porro

“Não é a primeira vez que os acreanos aparecem aqui na Métrica (leia análise da canção “Nada Além” ou o comentário sobre show da banda na Virada Cultural no palco independente, em 2008). Já foi dito por aqui, por isso é desnecessário repetir, que Diogo Soares talvez seja o maior poeta da nova geração do rock brasileiro; do mesmo modo, é um pleonasmo afirmar que a banda, pela postura sonora livre da lógica das grandes gravadoras, aponta para o futuro da canção brasileira. Isto é: aponta para o Cruzeiro, poderíamos dizer – sempre lembrando que, na bandeira brasileira, a constelação do Cruzeiro do Sul está representada como se fosse observada por um observador hipotético, que não estaria na superfície da Terra.”

É o que diz o professor de literatura e blogueiro do Showlivre.com Rogério Duarte sobre o grupo Los Porongas em seu blog A Métrica do Grito. Leia.

Sim, nós adoramos o TV On The Radio

Por Nathalia
Todo começo/ final de ano é recheado por listas dos mais diversos assuntos. Um balanço do ano que se passou interessa a todas as áreas e com a música não é diferente.

A Rolling Stone norte-americana divulgou a listinha dos 50 melhores discos de 2008. E o número 1 ficou com “Dear Science” do TV On The Radio. O álbum está disponível na íntegra no myspace dos caras, é só dar play e viajar – realmente está impecável, como disse a revista, é art-rock e traz um bom reflexo dos EUA em 2008: guerras e desespero econômico.


foto da apresentação do TVOTR no Tim Festival 06

Me parece que a Rolling Stone teve bom senso para escolher este primeiro lugar, porque normalmente o que vemos são aqueles rappers “bling-bling” falando de mulher gostosa e carro do ano ou as “estrelas pop” wannabe Madonna, com aquele repertório de club gay de quinta.

O segundo lugar ficou com “Tell Tale Signs – The Bootleg”, o volume oito da série de Bob Dylan e o terceiro com “Tha Carter III”, do Lil Wayne. (!!!)

A lista inteira, colo abaixo, mas não deixe de assistir o TVOTR em ação aqui no Showlivre.com, em 2006, clicando aqui.

1 | TV on the Radio: Dear Science

2 | Bob Dylan: Tell Tale Signs — The Bootleg
Series Vol. 8

3 | Lil Wayne: Tha Carter III

4 | My Morning Jacket: Evil Urges

5 | John Mellencamp: Life, Death, Love
and Freedom

6 | Santogold: Santogold

7 | Coldplay: Viva la Vida or
Death and All His Friends

8 | Beck: Modern Guilt

9 | Metallica: Death Magnetic

10 | Vampire Weekend: Vampire Weekend

11 | Fleet Foxes: Fleet Foxes

12 | Guns n’ Roses: Chinese Democracy

13 | Blitzen Trapper: Furr

14 | Ryan Adams and the Cardinals: Cardinology

15 | The Black Keys: Attack & Release

16 | Randy Newman: Harps and Angels

17 | B.B. King: One Kind Favor

18 | Lucinda Williams: Little Honey

19 | Erykah Badu: New Amerykah: Part 1
(4th World War)

20 | Kings of Leon: Only by the Night

Paris Hilton quer Sir Paul McCartney em seu próximo disco

Paul McCartney, que deve ter achado bem estranho o convite de Paris

A rainha das patricinhas do mundo Paris Hilton não é fácil. Prestes a gravar um novo álbum – ela estreou em disco em 2006 com Paris – , a socialite norte-americana pediu auxílio luxuoso ao ex-beatle Paul McCartney.

Segundo o site “Pop Crunch”, que tem o mundo das celebridades como foco, Paris fez o convite a Sir McCartney na 51ª edição do Grammy, realizada neste domingo, dia 8, no Staples Center de Los Angeles, EUA. De acordo com o site, o músico teria ficado um tanto constrangido com o convite. E, elegante que é, disse que iria consultar a agenda antes de despistar a moça.

Você consegue imaginar como seria a parceria entre Paris Hilton e Sir Paul McCartney? E de outros encontros estranhos do mundo da música? Você se lembra?

Clemente e Botinada na Maximumrocknroll


Trecho inicial do Botinada! A origem do punk no Brasil

Com pequenino atraso, acaba de chegar à redação do Showlivre.com a edição de janeiro da Maximumrocknroll. A publicação, sediada em São Francisco, EUA, é uma das mais importantes e tradicionais quando o assunto é punk rock e afins – são mais de duas décadas de investigação. A edição do mês passado tinha filmes como tema e o documentário Botinada! A origem do punk no Brasil (2006), de Gastão Moreira, é um dos destaques. E não é que o nosso intrépido apresentador Clemente Nascimento, um clássico do gênero e uma das estrelas do documentário, concede uma longa entrevista, assinada por David Charles, e ainda figura na capa do especial? Como nós, o pessoal de São Francisco cultua o Clemente, chamado carinhosamente aqui pelos corredores como Punk Veio.

Primeira tragédia do rock completa 50 anos

JP “The Big Bopper” Richardson

Ritchie Valens

Buddy Holly

Uma das maiores tragédias da história do rock completa 50 anos nesta terça-feira (3). Trata-se do acidente aéreo que tirou a vida dos músicos Buddy Holly, Ritchie Valens e JP “The Big Bopper” Richardson, nos Estados Unidos. Segundo escreveu o cantor Don McLean na canção “American Pie”, de 1971, aquele foi “o dia em que a música morreu”. Já o historiador Jim Dawson, autor de diversos livros sobre o início do rock, afirmou: “Esse foi o primeiro marco do rock’n’roll, a primeira morte.”

Os três artistas estavam em turnê conjunta e o aeroplano onde viajavam caiu pouco após a decolagem em um campo de Iowa. Holly tinha 22 anos, Valens 19 e Richardson, 28.

Jovens, mortos prematuramente, o trio deixou contribuições ao gênero. A carreira de Holly foi curta e influenciou inúmeros artistas que vieram depois. Os Beatles, que formaram a banda na época do acidente, eram fãs antigos. Entre os sucessos de Buddy Holly estão “That’ll Be The Day” e “Peggy Sue”.

Richardson é frequentemente creditado como o criador do primeiro videoclipe com sua interpretação de “Chantilly Lace” em 1958, décadas antes da MTV.

Ritchie Valens foi um dos primeiros músicos a inserir a influência mexicana no rock. Seu hit “La Bamba” foi gravado poucos meses antes do acidente. O filme “La Bamba”, de 1987, retrata o acidente dos cantores.

Com informações da AP.