Estrelas da música e personalidades pop em exposição em São Paulo


Retratos de Björk e Mick Jagger fazem parte da mostra. Foto: Divulgação

Um programa imperdível para quem se amarra em música é a exposição Chop off their heads, em cartaz no MuBE – Museu Brasileiro da Escultura (Av. Europa, 218, São Paulo, tel. 11 3081-8611). Trata-se de uma mostra dos trabalhos do fotógrafo Rankin, criador da revista Dazed and confused. Há retratos de gente como os integrantes da banda de britpop Blur, Mick Jagger, Björk, Mick Jagger, Madonna e Britney Spears. A exposição foi aberta no dia 22 de janeiro e segue até 5 de fevereiro, de segunda a domingo, das 10h às 19h. A entrada é franca.

Roqueiros e seus pais são personagens de fotos históricas

A família dos Jackson Five no retrato de John Olson

Frank Zappa, The Jackson Five, Ginger Baker, Joe Cocker e Elton John são algumas das personalidades da música que foram registradas pelo fotógrafo John Olson. Uma saborosa série traz os artistas com os pais. O material foi publicado nos anos 1970 na revista Time e nesta semana em uma matéria do The Guardian. Confira.

Vocalista do Oasis é intimado por Tom Cruise na Alemanha

Liam Gallagher, em terceiro lugar na foto, podia passar sem essa

E essa agora? Lemos no jornal que Liam Gallagher, vocalista do Oasis, passou por uma situação constrangedora na Alemanha. O cantor inglês encontrou o ator americano Tom Cruise no corredor de um hotel em Berlim, onde os dois estão hospedados, e foi intimado.

Segundo o tabloide “Daily Star”, ao avistar Gallagher, Cruise foi perguntar porque o roqueiro o chamou de bastardo no documentário da banda Lord Don’t Slow Me Down.

De acordo com a matéria, na produção, Liam diz que odeia o ator. “Eu odeio Tom Cruise. Eu não consigo suportar aquele pequeno bastardo. Nem ele nem Michael Owen”, disse.

Frente a Cruise, o cantor ficou bastante constrangido. Ainda que a conversa tenha sido em tom civilizado, principalmente depois que o falastrão Gallagher afirmou que na verdade gostava de Tom Cruise no filme “Coquetel” (1988).

O que dizer disso?

Verão, calor no coração, a festa vai começar…


Está tão quente em SP que dá preguiça de sair na rua. Durante um almoço com outros cinco integrantes masculinos da equipe Showlivre, a discussão na mesa era o calor. Eles detestam e eu, adoro. Tudo bem que a concrete jungle traz uma sensação térmica insuportável, mas gosto é gosto.

Em pouco tempo e para variar, a conversa virou música. Os incômodos do suor e o ônibus lotado na baixada fluminense (sim nós temos um carioca que não admite o calor) chegaram a conclusão de típicos fãs de rock: “como se não bastasse, as piores músicas são lançadas no verão”.

O fato é que, se não são lançadas, estouram durante o verão. É aquele monte de porta-malas aberto no calçadão, ecoando o hit perene.

Mas agora vamos ao que interessa: as previsões dos hits do verão de 2009. Nossa amiga Carol Thomé, que está viajando pelo Brasil com a equipe da Band mandou novidades da Bahia e os hits que já estão estourados por lá e que não devem tardar a atravessar fronteiras são:

“Pó Pará com Pó”, de Jake

“Tchuco”, de É XeKe

“Cuduro”, de Fantasmão

(sim o ritmo angolano kuduro virou nome de música!)

Em outros carnavais

No verão passado, “Piriguete” dos Senhores Cafetões tocou bem, mas a grande tortura para os ouvidos foi a dança do “Créu” com suas mulheres fruta. Não teve como fugir das velocidades do Créééééu.

“Já que eles conseguem mobilizar milhões de pessoas com um ritmo, por que não colocar letras que passem alguma mensagem inteligente?”, é a pergunta que não quer calar.

No verão retrasado foi “Ela só pensa em beijar (Se ela dança eu danço)” e a rainha do funk “Glamurosa”. Em anos anteriores grudavam nos tímpanos megahits como “Festa no Apê” do Latino – que na verdade é uma reinterpretação de um grupo romeno chamado O-Zone. Teve o “Ragatanga”, do Rouge e “Segura o Tchan”, seguida por uma invasão do axé pornô no Brasil.

O problema não é o ritmo. “Mas chega de pega ali e chupa aqui, vamos colocar cultura nessas letras”. Bem, isso nunca vai acontecer. O Brasil é o país do derrière, não?

Por Nathalia Birkholz
fotos: reprodução

Morrissey lança novo clipe


Foto da capa do álbum Years of Refusal

Apesar de já circular pela internet, Years of Refusal, novo álbum do cantor e compositor inglês Morrissey, só chega às lojas em fevereiro. O primeiro single foi disponibilizado na semana passada e agora o clipe de “I’m Throwing My Arms Around Paris” também pode ser visto. Para o cantor, a música é um “hino cosmopolita à arquitetura”. Co-escrita por ele e pelo guitarrista Boz Boorer, o ex-vocalista do Smiths canta que “ninguém quer o meu amor, ninguém precisa do meu amor”. Assista aqui.

Britney Spears pode ser censurada em rádios

Imagem do BritneySpearsCircus.net

Britney Spears segue envolvendo-se em polêmicas – involuntárias ou não. A mais nova delas é que por conta do novo single, “If u seek Amy”, a cantora corre o risco ser censurada em algumas rádios nos EUA. O título da canção e seu refrão (algo como “Se você procura Amy”, em português) soa como o palavrão “fuck” soletrado em inglês.

A composição foi escolhida como terceiro single do álbum Circus depois uma votação entre os fãs da cantora no site oficial da artista. A composição foi escrita em parceria com Max Martin, autor de sucessos da cantora como “… Baby one more time” e Oops!… I did it again”.

Programadores de rádios norte-americanas estão preocupados “Nós temos uma responsabilidade com o público”, diz Patti Marshall, programadora da rádio pop Q102 em Cincinnati, em entrevista ao site da MTV dos EUA. “Não tem a ver comigo, mas com a mãe dirigindo uma minivan e seu filho de 8 anos”, explica.

Já John Ivey, programador da rádio KIIS FM, de Los Angeles, afirma. “Vou consultar meu departamento jurídico, provavelmente. Meu trabalho é proteger a licença de funcionamento da rádio. Não posso arriscar”.

E você? Acha que Britney Spears deve ser censurada? Opine.